Quem não tem elevador…

Ah, o elevador… Essa obra-prima da vida moderna! Facilita nossa vida de tal maneira que, muitas vezes, nem percebemos sua importância em nossa rotina.

Além de tudo, sempre podemos desfrutar do repertório do Kenny G. e ouvir barulhos de correntes.

Mas… e quando ele falta? Quero dizer: como qualquer “máquina”, deteriora, e precisa de manutenção periódica. E contra isso, não há o que ser feito.

Nem no fantástico mundo da 7a arte isto tem solução:

Mas quando a manutenção é “eterna” e só há um elevador no ambiente?

Juro que essa imagem é do Google

Quando a paciência chega no limite, é claro que penso que é feito de propósito.

“Vamos deixar em ‘manutenção’ por mais uma semana!”

GRRR!!

Alguns dias atrás, uma leitora mandou essa imagem para o blog:

1384852_496973667065381_422313361_n

Esse elevador fica em uma agência bancária com nome de recipiente em Joinville. Ao perceber que uma pessoa idosa estava com muita dificuldade para descer as escadas, vislumbrou o elevador “interditado”. Não sabemos se esta situação é momentânea ou está assim há vários meses.

A situação é corriqueira, e é uma pena, pois não se mensura a autonomia que um elevador pode trazer à vida de alguém com alguma restrição física. Sem um elevador, uma escada vira uma prova de rapel, cuja escalada, muitas vezes, sem ajuda de outrem, é impossível.

Elevador não é luxo! É uma necessidade.

Se você estiver frente a uma situação desta, não hesite: ofereça ajuda (sem grandes aparatos, please!) e, se possível, verifique o porquê da manutenção no único acesso ao piso superior. Em alguns estabelecimentos, pelo que sei, a Ouvidoria é o canal adequado a estas situações. Não deixe de despertar a Vera Verão que existe em você. 😉

E quando não tem jeito, mesmo? Aí o negócio é usar a criatividade e improvisar! Nada como o jeitinho brasileiro!

Lá na firrrrma, quando o elevador mais próximo da porta entra em manutenção, eu, with a little help from my friends, realizo o sonho de qualquer baixinho da Xuxa que cresceu frustrado: dou um digno rolé pelos corredores, até o próximo elevador, a bordo de uma cadeira office. É tão…tão #OLadoBomDaVida…!

Esse brinquedo não faz looping

Sobe? Desce? Pra frente!

Anúncios

13 comentários sobre “Quem não tem elevador…

  1. Larissa, você abordou um tema importante, assim como as intermináveis reformas (ou reformas incompetentemente concluídas) em “bens públicos de uso especial”, a exemplos de fóruns, assim, por hipótese! Fica então minha humilde sugestão para um próximo post.

    Teu blog tem utilidade pública, parabéns!
    Abraços!

  2. Larissa, queria contar algumas experiências minhas como cadeirante. É claro que cada caso é um caso, e muitas vezes fiz sacrifícios para transpor andares por causa de um elevador quebrado, mas às vezes é preciso ser firme ou até mesmo rodar a baiana…

    Uma vez, troquei de médico (com que consultava há anos) por causa de um elevador em manutenção. Havia pegado um táxi para ir à consulta, porque é um lugar onde estacionar é difícil. Não tiveram a coragem de avisar aos pacientes que o elevador estava com defeito… Tentei remarcar e, para isso, perguntei na recepção do edifício quando é que o elevador voltaria a funcionar. Disseram que não havia previsão!!!!! Bem, hoje me consulto com outro médico, onde há elevadores que costumam funcionar.

    Em outra ocasião, havia ido a uma agência da Caixa Federal assinar um contrato de financiamento de imóvel. Falaram que a agência era acessível… Sim, o primeiro piso de fato era. Mas o contrato deveria ser assinado no segundo, e o elevador… bem, vcs já sabem.

    O que eu fiz? Simplesmente aguardei que me apresentassem uma solução, deixando claro que o problema era deles, não meu. Dessa forma, todos os documentos foram trazidos para que eu os assinasse no piso inferior… sem stress!

    Um abração! Gosto muito do seu blog!

    • Laura, adorei seus relatos! Infelizmente temos que fazer um “EPA EPA EPA” e fazer as coisas funcionarem. Mas o pior de tudo é que quando reclamamos, passamos por chatos, incompreensivos, blá blá blá… A consciência de que o problema não é meu, e sim deles, ainda é tímida neste país!
      Abraço, ‘Cadeira Voadora’! Sejas sempre bem-vinda por aqui! 😀

  3. Lari, esse post me lembrou uma questão que há um tempo me inquieta… Como fica a questão das saídas de emergência? Em caso de incêndio, a saída do prédio deve ser feita pelas escadas. E a acessibilidade, como fica? Sei que em prédios grandes, como os de Dubai, existem “elevadores enclausurados”, afinal, não se espera que alguém desça 100 andares de escada… Mas e nos prédios normais? Já vi alguns projetos novos que na escada enclausurada existe um espaço ao lado dos degraus, com o símbolo de acessibilidade. Acredito que seja para que uma pessoa que não consiga descer as escadas possa aguardar o socorro em segurança (já pensou, sair nos braços do batman ou do super-homem? hehehe) Mas realmente fiquei na dúvida de como isso é tratado na norma dos bombeiros… Acho que eles não iam esquecer desse “detalhe” né? Vou pesquisar!

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s