A rampa e o holofote

Era sexta-feira (20/09) e estava “de boas” de olho no Facebook e, entre um “meme” do Chapolin Sincero e uma foto de balada, localizo esta notícia, do Jornal Notícias do Dia de Joinville:

Hospital Municipal São José ganha mais acessibilidade, em Joinville

Rampa de acesso que liga o prédio central ao jardim e espaço de convivência foram entregues nesta quinta

Os pacientes do Hospital Municipal São José, principalmente aqueles que utilizam cadeiras de rodas, muletas e andadores, podem agora usufruir do Jardim Central com maior segurança e conforto. Nas últimas semanas foi concluída a construção da rampa de acesso que liga o prédio central ao jardim, espaço de convivência para pacientes e acompanhantes, que anteriormente tinha acesso apenas por escadaria.

Divulgação/ND

“Evento de entrega da rampa e de outras melhorias no espaço teve a presença de representantes do hospital e da Construtora Correia, que patrocinou as obras.”

Então…

Inauguração de uma rampa?

Inauguração de uma rampa… em um hospital?

E tem até fitinha!

A única coisa que me veio à cabeça, no momento, foi uma imagem que, há tempos atrás, foi amplamente divulgada nas redes sociais e, é claro, em sites de humor.

“Ah, mas não reclame! Pelo menos fizeram!”

Eu não conheço o interior do Hospital São José e, portanto, não posso dar meu humilde pitaco na acessibilidade do local. E, aliás, acho um ato extremamente positivo.

O que surpreende, na verdade, é algo que deveria ser regra (ambientes acessíveis a todos os “públicos”) ser noticiado como “Uau! Vejam só… agora contamos com a tal da acessibilidade! AGORA vai!”

E, repare: é algo tããão diferente, tãão único, que precisa de uma inauguração. #ObraFarônica

Minha surpresa acabou quando lembrei que vivemos em um tempo em que atitudes positivas, por serem tão raras, viram machete de notícia.

Anúncios

3 comentários sobre “A rampa e o holofote

  1. Certamente a tal matéria se justifica pelo simples fato de envolver um patrocinador, cuja ausência de divulgação tiraria o brilhantismo desta “generosidade”. Lamentável é ter que ver que as coisas só funcionam quando envolvem holofotes. Mas se esse é o preço que pagamos pra ter mais acessibilidade, até que vale a pena. O jornal, neste caso, poderia até encalhar na banca.
    HAHAHAHAHAHA Bju

    • Thiago, o pior é a tal construtora fazendo FAMA com essa “obrinha”… Fama de bons samaritanos, tentando tornar acessibilidade uma caridade, um favor! Isso me tirou do sério! Hahaaha! Sejas sempre bem-vindo por aqui! 🙂

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s